A melhor "pilsen" nacional que já tomei

on 30 de abril de 2013




Incrível como a experiência faz você identificar coisas que antes seriam passadas despercebidas.  Se eu tivesse esse blog há 5 anos atrás esse post não teria nem sido feito.  Igualmente incrível é o fato de eu ter ficado empolgado a ponto de querer vir aqui escrever no blog depois de 2 meses; e a cerveja que me deu essa empolgação e que me trouxe aqui foi uma "pilsen" nacional!!


Brahma de agudos? Não.  Serra Malte? Não.  Original? Não.  Skolzinha gelada?  Também não. A melhor pilsen nacional de massa e engarrafada que eu já tomei na minha vida veio hoje, dia 30 de abril de 2013.  A cerveja em questão: Kaiser, que pra muitos é a "cerveja da caganeira".  Mas poderia ser qualquer uma...


Acontece que tem uma fábrica da Kaiser (leia-se fábrica da Heineken que fabrica Kaiser) na cidade onde moro.   Eu estava sem pretensões, como acontece em 99,999% das vezes que eu compro uma cerveja de fábrica ( os outros 0,001% virão na próxima compra, da mesma cerveja, amanhã).  Acabei entrando em modo automático e nem pensando na compra.  A escolha da kaiser foi por 2 motivos: O primeiro estava no meu subconsciente:  eu sabia que a fábrica daqui produzia kaiser, e por isso sempre compro kaiser quando posso.  A chance dela ser mais fresca é maior (mais sobre 'frescor' abaixo).  A segunda é que desde que eu comecei a tomar cervejas artesanais, importadas e caseiras, percebi o tanto que é besteira se ater a uma única marca de cerveja de fábrica.  Meus irmãos podem testemunhar, quando vou a um bar, peço 1 Brahma.  Quando a cerveja está vazia e o garçon vem com outra Brahma, geladinha, eu mando voltar e peço uma Antártica. E depois outra totalmente diferente das duas.  Assim dá pra você tentar dizer se uma é mais lupulada que a outra, se está mais velha; e mesmo que não perceba diferenças, está criando algo muito incomum entre bebedores de bares:  você presta atenção no que está bebendo.  E isso já é ponto positivo o suficiente.


A Kaiser Shot, em embalagens de 250mL, custou R$1,09.  Comprei 4 garrafas e paguei R$4,36.  A garrafa é twist-off.  Sabemos que tampinhas tipo pry-off (que precisam ser abertas com abridor) são melhores do que as do tipo twist-off*.  No entanto, para uma cerveja jovem e bem armazenada, isso não faz diferença.  Como não fez.  A cerveja estava de acordo com tudo o que um guia de estilos diz de uma lager com adjuntos:  "refrescante", "mata a sede", "sabores fortes são uma falha", "baixo corpo com alta carbonatação sendo portanto bem seca", "limpa" e "fresca/nova", "transparente".  Lupulagem é quase imperceptível. Isso e apenas isso já é motivo de muita comemoração.  Mas além disso, a cerveja não apresentava quaisquer sabores de fermento (DMS, diacetil, frutado ou Acetaldeído).  Foi justamente esse último ponto que fez ela trasncender a uma cerveja comum.  Caso eu estivesse julgando no estilo "standard american lager" pelo BJCP, daria uma nota de 42 em 50.  (Detalhe que a maior nota que eu já dei em minha vida talvez tenha sido um 41 ou 42).  Ela se aproxima muito do "na mosca" do estilo quando um cervejeiro a produz.










Acredito que uma porcentagem muito grande de cervejas saem assim da fábrica, beirando a perfeição.  A tecnologia das fábricas, o controle de qualidade é realmente muito grande.  Eu já tive a oportunidade de visitar essa mesma cervejaria mas na época ainda não tinha experiência e treinamento suficientes pra dizer se aquela cerveja da fábrica estava igual, melhor ou pior que essa da garrafinha.  O problema acontece com tudo o que a cerveja sofre assim que é engarrafada e sai da fábrica.  Calor, agitação, luz solar e tempo são as principais variáveis que estragam a cerveja.  Em geral, portanto, uma cerveja jovem tem muito mais chances de ser melhor do que uma velha, já perto ou depois do prazo de validade.  No meu caso, a cerveja foi feita a menos de 5km de onde moro.  Tem data de validade para o dia 06/10/13 e se levarmos em conta que a maioria das cervejas tem validade de 6 meses, ela deve ter sido envasada a exatos 24 dias.  Teve pouco transporte e consequentemente luz solar incidida, agitação e calor.  Ou seja, a minha análise foi justificada por fatos concretos!!

A "tal" breja que deu origem à postagem

E é por isso que nós degustadores, cervejeiros e entendedores devemos sempre propagar esse conhecimento de que a melhor cerveja não é aquela que eu estou acostumado a beber, mais tradicional, que é mais popular no meu estado por causa de comerciais ou por qualquer outro motivo.  A melhor cerveja, quase sempre, vai ser aquela que, independente da marca:
1º) Foi feita há menos tempo, e portanto é a mais jovem das amostras;
2º) Sofreu menos "abusos" de agitação, calor e luz solar.  E que foi armazenada em local mais frio.

Um outro ponto que eu queria cobrir é justamente esse armazenamento a frio.  As cervejas lagers claras e de baixo teor alcoólico são uma das mais frágeis cervejas que existem.  E é incrível como são justamente essas cervejas que mais passam tempo dentro de um depósito de bebidas com calor de 25-40ºC por 2-6 meses.  A validade não é uma data mágica de onde a partir de um dia a cerveja não presta mais.  Ela é, principalmente para a cerveja, uma curva de absorção de oxigênio que aumenta com o tempo E COM A TEMPERATURA.  Essas cervejas deveriam ser armazenadas em geladeira.

Tive uma experiência tão boa com essas cervejas comuns e baratas que estarei mais atento às datas e locais de fabricação.  E estarei bebendo mais delas.  Porque nesse país quente, não há porque não beber uma quando se está com sede.  



*Garrafas de tampinhas com rosca tem maior entrada de oxigênio que as garrafas que precisam ser abertas com abridor, causando menor tempo de prateleira.  No entanto, são mais práticas e é óbvio que as grandes cervejarias já fizeram a conta do que vale mais a pena.


American IPA

on 13 de abril de 2013

Inicialmente essa cerveja foi brassada visando o concurso das Acervas.  Mas acabou ficando muito em cima da hora e eu acabei escolhendo a Eisbock pra disputar.  Mesmo assim, foi feita e agradou.  Ela deteriorou muito rápido..
IPA - hoppy and simple
American IPA
Type: All Grain Date: 13-Apr-13
Batch Size (fermenter): 27.00 l Brewer: Philip Zanello
Boil Size: 38.58 l Asst Brewer:
Boil Time: 70 min Equipment: Brix-19L (balde30L)
End of Boil Volume 28.08 l Brewhouse Efficiency: 70.00 %
Final Bottling Volume: 19.00 l Est Mash Efficiency 70.0 %
Fermentation: Brix Ale Taste Rating(out of 50): 30.0
Taste Notes:
Ingredients
Ingredients
Amt Name Type # %/IBU
12.00 g Gypsum (Calcium Sulfate) (Mash 60.0 mins) Water Agent 1 -
8.00 kg Pilsner (Weyermann) (3.3 EBC) Grain 2 95.2 %
0.40 kg Caramunich II (Weyermann) (124.1 EBC) Grain 3 4.8 %
20.00 g Simcoe [13.00 %] - First Wort 60.0 min Hop 4 27.3 IBUs
50.00 g Simcoe [13.00 %] - Boil 60.0 min Hop 5 62.0 IBUs
35.00 g Citra [12.00 %] - Boil 10.0 min Hop 6 14.5 IBUs
25.00 g Simcoe [13.00 %] - Boil 10.0 min Hop 7 11.2 IBUs
35.00 g Citra [12.00 %] - Boil 0.0 min Hop 8 0.0 IBUs
30.00 g Cascade [5.50 %] - Boil 0.0 min Hop 9 0.0 IBUs
25.00 g Simcoe [13.00 %] - Boil 0.0 min Hop 10 0.0 IBUs
1.0 pkg Safale American (DCL/Fermentis #US-05) [50.28 ml] Yeast 11 -
50.00 g Cascade [5.50 %] - Dry Hop 6.0 Days Hop 12 0.0 IBUs
50.00 g Citra [12.00 %] - Dry Hop 6.0 Days Hop 13 0.0 IBUs
Beer Profile
Est Original Gravity: 1.068 SG Measured Original Gravity: 1.000 SG
Est Final Gravity: 1.010 SG Measured Final Gravity: 1.010 SG
Estimated Alcohol by Vol: 7.7 % Actual Alcohol by Vol: -1.3 %
Bitterness: 115.1 IBUs Calories: 97.0 kcal/l
Est Color: 16.2 EBC
Mash Profile
Mash Name: Brix - Corpo Baixo Total Grain Weight: 8.40 kg
Sparge Water: 21.79 l Grain Temperature: 22.5 C
Sparge Temperature: 75.6 C Tun Temperature: 22.5 C

Mash PH: 5.20
Mash Steps
Name Description Step Temperature Step Time
Mash Step Add 34.20 l of water at 69.7 C 64.0 C 90 min
Mash Step Add 0.00 l of water at 76.0 C 76.0 C 10 min
Sparge Step: Fly sparge with 21.79 l water at 75.6 C
Mash Notes:
Carbonation and Storage
Carbonation Type: Bottle Volumes of CO2: 2.3
Pressure/Weight: 147.05 g Carbonation Used: Bottle with 147.05 g Corn Sugar
Keg/Bottling Temperature: 21.1 C Age for: 0.00 days
Fermentation: Brix Ale Storage Temperature: 2.0 C
Notes
Desastre da mostura....estava transferindo a eisbock e esqueci o fogo ligado...a temperatura, que era de 65ºC, subiu pra 72ºC. Isso com 30 minutos de mostura.....aí mantive os 90 minutos sem fogo ligado.

04-maio-13: transferi para outro balde + 60g de dry-hop (30g citra + 30g cascade). Parecia estar boa e sem problemas...mas antes da adição de dry-hop não estava absurdamente com aroma de lúpulo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...