Lançamento: Therezópolis Rubine

on 27 de outubro de 2011




A Cervejaria St. Gallen acaba de lançar um novo rótulo: a Therezópolis Rubine.

THEREZÓPOLIS RUBINE (na imagem) é uma autêntica Bock de cor vermelho intenso, composta por maltes tostados do tipo Munich e malte Vienna, equilibrados pelo leve amargor do lúpulo e pela leveza da água mineral das montanhas. De maturação prolongada e corpo denso, seu aroma traz notas de café e toffé.
THEREZOPOLIS RUBINE tem teor alcoólico de 6,5% vol, e apesar de ser conhecida como cerveja sazonal de inverno, estará presente o ano inteiro na carta da Cervejaria Sankt Gallen e poderá ser apreciada sem preconceito. Aprecie a 5º graus.
O nome Bock na verdade vem de  EinBeck, cidade natal deste tipo de cerveja. Em alemão também significa cabrito (relação com o cabrito montanhês).
A THEREZÓPOLIS RUBINE harmoniza muito bem com carnes de caça (javali), paleta de carneiro, batatas gratinadas, salada de beterrabas, creme de shitake ou de lentilha, feijoada, goulash, foie gras, ossobuco, pato assado, pimentão recheado, rabada e nozes. A Rubine harmoniza muito bem inclusive com algumas sobremesas. Com creme brulée fica perfeito

Técnicas de dry-hopping

on 25 de outubro de 2011


Dry hopping é essencialmente uma técnica britânica (e agora americana).  Com poucas exceções, não é praticada na Alemanha e nem na Bélgica.

Qual a diferença entre fazer dry-hopping e adicionar lúpulo no final da fervura?  Bem, pra começar, o aroma de uma cerveja que foi "dry-hoppada" é mais potente sobre o lúpulo no final da fervura.  O aroma proveniente de dry-hopping é mais intenso e, já que não há fervura e portanto menos oxidação envolvida, o aroma é mais semelhante ao de um cone de lúpulo in-natura.  O aroma de dry-hopping é provavelmente será mais estável do que quando proveniente de adição no final da fervura.

Como recordação, aqui vão algumas informações básicas em utilização de lúpulos.  Os lúpulos tem 2 componentes básicos: um as são resinas e o outro são os óleos essenciais.  As resinas são geralmente chamdas de alfa ácidos e são isomerizados (por meio de reação de isomerização) quando fervidos que resultam em iso-alfa-ácidos.  São esses iso-alfa-ácidos os responsáveis em dar o amargor na cerveja final.  Os óleos essenciais são responsáveis pelo aroma de lúpulo na cerveja final.  Esses óleos são bem voláteis e serão evaporados se adicionados muito cedo na fervura.  Para a maioria do mundo cervejeiros, o aroma é conseguido com a adição de lúpulo no final da fervura, que permite aos óleos que fiquem retidos no mosto.  As adições de final de fervura geralmente ocorrem com 10 minutos ou menos para o final da fervura.  Para cervejeiros alemães, eles gostariam de não ter nenhum aroma de adições no final da fervura.  Inclusive, os sabores e aromas típicos que consideramos "nobres" são de adições de começo e meio de fervura, e nunca no final ou por dry-hopping.  Se você já tentou fazer dry hop em cervejas alemãs, os sabores resultantes podem até ser agradáveis para você, mas a cerveja resultante seria fora do estilo e provavelmente não agradaria a jurados em competições.

Existem basicamente três formas de dry hopping:

  • Adicionando lúpulos no fermentador primário;
  • Adicionando lúpulos no fermentador secundário;
  • Adicionando lpupulos no barril.
Adicionar lúpulos no começo da fermentação primária é desencorajado pela perda de aroma por arraste pelo CO2 formado durante a fermentação.  Porém, muitas cervejarias comerciais estão mais preocupados com a estabilidade de suas cervejas do que em pequenas perdas de eficiência de lupulagem.  Quanto mais oxigênio conseguirem manter fora da cerveja, mais estável.  Então, ao invés de transferirem a cerveja para um fermentador secundário, esperam até a cerveja estiver quase terminado de fermentar (por volta de 1ºP faltando) e então fazem o dry-hop.  Qualquer oxigênio presente será metaolizado pelo fermento ou evoluído com o desprendimento de CO2, e ainda tem bastante tempo para que o lúpulo sedimentarem se adicionados diretamente .  Esse método pode ser interessante para cervejeiros caseiros, especialmente para aquelas cervejas que serão maturadas por um longo período, como barley wines, ou old ales, etc.

A maioria dos cervejeiros fazem dry hop no secundário para conseguir o máximo de aroma com menor custo.  Isso é feito por três razões: sanitização, para não entupir a mangueira de purga (blow-off) e para reter o máximo de aromáticos possível.  O problema, mencionado acima, é a possibilidade de oxidação e reduzida validade.

Dry-hopping no keg é praticado frequentemente, mas alguns sentem que o tempo de contato que os lúpulos estão com a cerveja dão muito do sabor "de grama" ou "oleoso". Porém existem tantos quantos que nunca tiveram problemas mantendo lúpulos no keg por 4 a 5 semanas.  Quando usando um post-mix, gosto de usar aqueles porta-chás de inox em forma de bola e um pedaço de fio-dental. O porta-chá desce ao fundo e o fio dental permite que ela seja amarrada na parte de fora, mantendo mesmo assim uma boa vedação da tampa.  Uma semana é bom ao se fazer dry-hop a quente, ou então até três ou quatro semanas quando fazendo dry-hop em temperaturas de lager.  Sempre deixe o seu paladar dar a palavra final em quando você deve retirar os lúpulos.


Muitos cervejeiros caseiros ficam preocupados com contaminações quando adicionam lúpulos não sanitizados na cerveja final.  Isso é muito difícil de acontecer porque quando o lúpulo é adicionado, no fim da fermentação, o álcool ajuda a conter qualquer possível fonte de contaminação.  Ainda, já que não existem muitos açúcares sobrando na cerveja, não existe muito para os bichos comerem.  E finalmente, lúpulos são anti-bacterianos e portanto não são um bom hospedeiro para qualquer contaminante.

Quais lúpulos devem ser usados para dry-hopping?  Para a maioria, os lúpulos aromáticos são aqueles com baixo teor de alfa ácidos (menos de 6%) e com conteúdo alto de óleos essenciais.  Os lúpulos "nobres" caem nessa categoria, assim como a maioria das variedades de baixos alfa ácidos.  Alguns exemplos incluem Saaz, Tettnanger, Hallertauer, Goldings, Fuggles, Cascades e Willamette.  Como em muitas regras, há exceções.  Muitos lúpulos caem na categoria de "uso duplo" e que tem boas características aromáticas assim como boas propriedades de amargor.  Duas dessas variedades com altos alfa-ácidos com bons resultados em dry-hopping são Chinook (12-14% AA) e Columbus (14-16% AA).  Geralmente é melhor escolher as variedades por região ou tradição para fazer dry-hopping assim como para usar no final da fervura.  Por exemplo, a maioria das cervejas inglesas são "dry-hoppadas" com East Kent Goldings e a maioria das americanas com Cascade.

Quanto de lúpulo usar e por quanto tempo é uma questão frequentemente perguntada.  Uma boa base para uma quantidade razoável é por volta de 30g de lúpulo em 20L de cerveja de 10 dias a duas semanas entre 15 e 20ºC.  Para cervejeiros caseiros que gostam de bastante aroma de lúpulo, aumente para algo como 60g para um aroma moderado, usando até 120g para cervejas mais alcoólicas e para aquele aroma "na cara" que muitas IPA´s e Double IPA´s (e até algumas Pale Ales mais fortes).  A resposta certa  para a pergunta de quanto usar é "o quanto precisar para atingir o resultado desejado".  Mais de 120g por 20L pode ser lúpulo em demasia e o limite superior, mas cervejeiros caseiros são conhecidos justamente por ir até o limite das cervejas.

Na Grã-Bretanha, cervejeiros tipicamente fazem dry hop por duas a três semanas com uma temperatura inferior, por volta de 13 a 16ºC.  Cervejeiros comerciais por lá usam menos lúpulos quando feito o dry hop no keg, mas não o removem do barril antes de servir, então ele está em contato com a cerveja por um longo período.

Uma alternativa para dry hop é fazer um chá de lúpulo.  Para fazer isso você ferve duas xícaras de água , remove do fogo e adiciona o seu lúpulo.  Espere esfriar e deixe em infusão por 1 a 2 horas.  Adicione então à cerveja.  Adicionar uma pequena quantidade de ácido na água, como o fosfórico ou o lático, ajudará a prevenir a liberação de polifenóis dos lúpulos que podem causar adstringência na cerveja final.  Seja cuidadoso quando ajustar os níveis de ácido em quantidades tão pequenas de água.  Use um pHâmetro e pare quando o pH estiver abaixo de 6.  Evite adicionar o chá na cerveja muito rapidamente de modo a incorporar oxigênio na mesma.  Qualquer oxigênio adicionado vai diminuir o aroma de lúpulo por oxidação dos compostos aromáticos.  Tente sifonar com uma ponta de mangueira até a superficie da cerveja ou então adicionar cuidadosamente.

As lagers geralmente não são "dry-hoppadas", pois seus aromas são provenientes de adições no final da fervura, mas enquanto estiver brassando uma cerveja lupulada (principalmente ales), tente fazer dry hop na próxima vez e veja se você gosta dos resultados.

Referências:  Adaptado do artigo da revista Brew Your Own por Donald Million intitulado Dry Hopping: Techniques (data online: 26 de agosto de 2003), do livro Homebrewing: Volume 1 Beginner Basics to Creating Your Own Award-Winning Recipes, por Al Korzonas, o artigo de Charles Bamforth intitulado Beer: An Ancient Yet Modern Biotechnology, do departamento de Ciência dos Alimentos da Univ. de California-Davis.


Fazendo um starter de fermento

on 5 de outubro de 2011


Erlenmeyers, extrato de malte seco, sacaromyces, agitadores magnéticos e tubos de ensaio.  Se você está aprendendo esses termos então você está entrando no mundo dos starters de fermento.  Certamente uma jogada para economia de dinheiro para o cervejeiro caseiro que gosta dos apetrechos e gadgets de microbiologia e cálculos nerds de fermento.  Fazer o seu próprio starter de fermento lhe dá melhor controle de sabores usando sanitização, selecionando cepas específicas de leveduras, temperaturas, aeração e quantidades de adição de fermento.

Um Erlenmeyer de 2000mL e rolha
 funcionam bem para fazer starters para
cervejas com alto teor de álcool
Um starter é apenas uma fermentação em pequena escala feita para acelerar o metabolismo do fermento.  Fazer um starter pode demorar 12-18 horas dependendo da cepa, temperatura, nutrientes/alimento para o fermento e oxigênio fornecido.  Esteja preparado para brassar ou refrigerar a "lama" de fermento até a hora de usá-la.  Um frasco de 2000mL permite que você faça starters normais ou maiores para levas maiores ou então para cervejas mais alcoólicas.  Para uma OG muito alta, o starter é necessário para uma fermentação ativa e saudável.  Para starters maiores dobre as quantidades de fermento, extrato de malte seco, nutrientes de fermento e água nos passos abaixo.

Como em quase todo processo de cerveja caseira, sanitização é primordial para um starter.  Limpe e sanitize os seus frascos, rolhas porosas, embalagens de fermento, tesouras, barra magnética, funis, termômetros e papel alumínio.  Basicamente tudo que entrar em contato com o mosto resfriado, frascos e fermento precisa estar o mais estéril possível.  Você não vai querer contaminar as suas culturas de fermento, então esteja atento à limpeza do ambiente.

Então quanto de fermento usar em cada leva de cerveja?  Ao invés de ir à fundo na matemática envolvida, nós sugerimos usar a Calculadora de dosagem do fermento do Jamil Zainasheff.  Ele também tem um app para iPhone disponível.

Construindo um Starter
Reuna seus equipamentos incluindo frascos de 1L e 2L, rolha porosa, agitador magnético, barra magnética, Extrato de malte seco, nutrientes de fermento e sanitizante como PAC200, iodofor, Star-San ou álcool 70.

Remova o fermento líquido do refrigerador pelo menos 6 horas antes de adicionar ao erlen.  Para algumas cepas, isso pode levar até 24 horas.  Colocando os sachês em cima da geladeira dará ao fermento um pouco de calor par ajudar a acordá-los.

Em uma panela de 2 a 5L, ferva aproximamente 3 xícaras (720mL) de água e desligue o fogo.  Adicione 1/3 colher de chá de nutriente como "Fermax" contendo fosfato de di-amônio (DAP) e células de levedo.

Adicione extrato de malte seco (DME), aproximadamente 1/2 xícara ou 84g.  Misture o conteúdo até que não haja pelotes.  Traga a solução novamente à fervura por 3-5 minutos para assegurar que os nutrientes estão totalmente dissolvidos.


Cuidadosamente transfira a solução para o erlenmeyer.  Cubra a boca do erlen com papel alumínio.  Mergulhe o frasco em um banho de gelo e mantenha até que a temperatura caia para a temperatura ambiente (deve demorar algo em torno de 10-15 minutos). É preferível que essa temperatura seja de aproximadamente 21ºC.


Uma vez atingido a temperatura-alvo, agite o frasco para quebrar a camada de sedimento.  Borrife com sanitizante a tesoura e o canto da embalagem do fermento, corte para abrir e adicione todo o conteúdo no mosto que estará em temperatura ambiente.


Jogue a sua barra magnética sanitizada cuidadosamente no lado do erlenmeyer, fazendo ela escorregar até o fundo.  Coloque a rolha porosa anitizada no gargalo do erlen (caso não tenha essa rolha, use um pedaço de papel alumínio cobrindo totalmente a boca do erlen e descendo uns 3-5 cm no gargalo do erlenmeyer), deixando que se espalhe em forma de cogumelo sobre o topo.  Coloque o erlenmeyer em um agitador magnético em temperatura ambiente, preferencialmente em um local escuro, e a fermentação deve começar em 12 horas.  Agitadores magnéticos ajudam você a cultivar contagens de células altas e a ter fermento saudável para fermentações mais rápidas, reduzindo o risco de contaminações e melhorando a qualidade de sua cerveja.

Quando a fermentação ocorrer, o starter está pronto.  Você ajudou a multiplicar o seu fermento para 2-3 vezes a sua população inicial e agora eles estão prontos.  Adicione o seu starter normalmente como você faria quando adicionaria o fermento.  Lembre de levantar o fermento em suspensão no frasco agitando o erlen.  Se você estiver fazendo uma lager, lembre-se de diminuir a temperatura do starter para que as temperaturas estejam próximas (algo em torno de 3-5ºC) quando você adicionar, para que o fermento não entre em dormência.

Observaçôes: Esteja preparado para uma fermentação vigorosa.  Uma mangueira tipo blow-off (ao invés de um airlock) é recomendado para que você não tenha surpresas desagradáveis e grudentas!

Se você estiver fazendo um starter com volume muito grande, considere jogar fora parte do líquido e apenas adicionar a 'lama'.  Você pode refrigerar o starter na noite anterior para que o fermento sedimente no fundo do erlen e então jogue fora a parte líquida do starter.




Fonte: Homebrewing.com

Você beberia cerveja roxa?

on


"Prickly Pear", fruto do cáctus Opuntia
"Fanta Uva?  Não, cerveja!"  Isso é o que pode acontecer com você se for julgar em competições cervejeiras, especialmente em competições de cervejas caseiras.  A cerveja em destaque é uma Wit com o fruto da Opuntia, um cactus.  Embora Pierre Celis (o belga que ressucitou o estilo Wit Bier, e que depois se mudou para o Texas e fundou a Cervejaria Celis) fosse um cara inventivo, nenhuma prova existe de que ele pensou em fazer uma cerveja com o fruto do cactus

Tem muito desse fruto no Novo México (EUA), de modo que as pessoas fazem vinho dessa fruta avermelhada a roxa e usam em hidromel.

Sábado passado, o jurado BJCP e autor do livro consagrado "Brew Like a Monk", Stan Hieronymus, julgou o estilo de fruit beers em competição estadual de cervejeiros caseiros juntamente com cervejarias comerciais.  Após ter degustado uma Berliner Weiss com cerejas, recebeu essa belezinha.  O comentário na ficha de inscrição dizia que essa cerveja não tinha corante artificial!!!

Talvez essa não tivesse sido a melhor idéia para uma cerveja.  Quando essa potente fruta se combina com uma wit, os sabores do estilo clássico são simplesmente soterrados.

Mas a execução foi um pouco melhor durante a tarde, quando o mesmo jurado sentou em uma mesa com uma cerveja com a mesmo fruto, porém em uma lambic.  E foi feito por uma cervejaria comercial.  Como foi julgada às cegas não dá pra saber qual cervejaria.  "Prickly Pear" junto com vinagre ? Difícil combinação, mas fica um belo parabéns pela tentativa!!

Recessão cervejística na Europa

on 4 de outubro de 2011


O declínio no consumo de cerveja pode estar contribuindo para a crise financeira na Europa - pelo menos de acordo com um estudo encomendado por aqueles que produzem cerveja.


A conclusão não é tão absurda quanto parece.  Europeus estão economizando dinheiro ao beber em casa ao invés de em pubs, e que está custando empregos na indústria e na diminuição da arrecadação de impostos, de acordo com um estudo por Ernst & Young, pago pelos Cervejeiros da Europa, uma associação industrial.


A mudança para o consumo dentro de casa tem um efeito desproporcional sobre o desemprego, porque 73% dos empregos associados com a indústria cervejeira da Europa vêm de fora das cervejarias.  São encontrados em bares, hotéis e restaurantes.


"Obviamente, a crise tem tido o seu efeito," disse Pierre-Olivier Bergeron, secretário geral dos 'Cervejeiros da Europa'.


O consumo de cerveja na Europa caiu 8% de 2008 a 2010, período coberto no estudo.  Mas o número de empregos na indústria cervejeira caiu 12%, ou 260 mil empregos, o estudo conclui.  Isso comparado com a queda de 2% de empregos totais na Europa.


A perda de empregos pode exacerbar a crise financeira porque os desempregados recebem benefícios ao invés de pagarem impostos.  Quando o consumo de cerveja diminui, o governo também coleta menos impostos na venda de cervejas.


Na verdade, a Grécia foi um dos países mais fortemente atingidos pela recessão cervejística.  O consumo per capita caiu para 36L dos 41L  de 2008 para 2010, enquanto que a indústria cervejeira despencou 15% e perdeu 59.600 empregos.


A indústria cervejeira reclama que parte do seu declínio é devido a fortes aumentos em impostos de cerveja a alguns países, incluindo a Grécia.


"Governos tendem a olhar para alguns setores como fazendas de dinheiro," diz Bergeron.  Ele argumenta que tal incremento pode ser contra produtivo porque eles empurram o consumo para baixo e por fim custam empregos e abaixam a arrecadação.


Mas nem tudo é notícia ruim para os cervejeiros.  O Sr. Bergeron disse que viu sinais de que esse declínio longo do consumo de cerveja da Europa, levado em parte pelas preocupações com saúde e leis contra a embriaguez no trânsito, pode estar chegando ao fim.  A proliferação de microcervejarias significa que os consumidores estão tem acesso à variedade e ao caráter local que faz o vinho ser atrativo, fazendo a cerveja mais atrativa a consumidores mais jovens, mais promissores.


Quando o Sr. Bergeron se associou à organização de cervejeiros uma década atrás, diz ele, tinha apenas 14 membros do seu país, a França.  Hoje já são 80, com muitos dos novos membros sendo microcervejarias.


Cervejeiros também estão vendo aumento em cervejas não-alcoólicas, também por causa de melhoras no processo de produção que resultam uma bebida mais saborosa, diz Bergeron.


Ele até está cautelosamente otimista que o consumo de cerveja pode aumentar novamente, já que as pessoas escolhem cerveja para beber nas refeições ao invés do vinho, mais caro. "Quando as pessoas olham para a carta de vinhos, eles decidem ficar com cerveja," diz o Sr. Bergeron. "A próxima década será interessante."

Vídeo: Cerveja do Google

on 3 de outubro de 2011


A gigante Google em colaboração com a cervejaria Dogfish Head, dos EUA, criaram uma cerveja especial usando ingredientes sugeridos pelos funcionários da compania ao redor do mundo.

A cerveja, em edição limitada, será uma Belgian Dubbel contendo ingredientes como amaranto da América do Sul, sementes de uma árvore australiana (wattleseed) e Myrica Gale da Europa e até mel de abelhas da matriz do Google, na Califórnia. Terá aproximadamente 9% álcool.

A cerveja foi inaugurada na semana passada, no brewpub da Dogfish Head no estado de Delaware, EUA.  Caso haja demanda, a cerveja será engarrafada e distribuída.

O projeto é considerado uma jogada de marketing.  Em um vídeo de 13 minutos que foi colocado no youtube, as empresas explicam como a Urkontinent (nome da criação) foi feita usando produtos do google.

Um porta-voz do Google anunciou também que eles não estarão entrando no mercado de cervejas, mas que suporta hobbies de seus funcionários, que é o caso da cerveja caseira.


   

Ganhadores do GABF 2011

on


O GABF (do inglês "Great American Beer Festival" ou algo como "Grande Festival de Cerveja Americana") de 2011 trouxe 3930 inscrições competindo por 248 medalhas.  Teve crescimento de inscrições de 11% em relação ao ano passado. Reuniu 526 cervejarias competindo de 48 estados americanos além de Porto Rico (território anexado).  Foram 167 jurados de 9 países diferentes.  Nas 83 categorias foram distribuídas medalhas de ouro, prata e bronze.  Segue a lista de vencedores:


Ganhadores por estilo

Category: 1 American-Style Wheat Beer – 20 Entries
Gold: SchWheat, SweetWater Brewing Co., Atlanta, GA
Silver: Shredders Wheat, Barley Brown’s Brew Pub, Baker City, OR
Bronze: Wagon Box Wheat, Black Tooth Brewing Co., Sheridan, WY
Category: 2 American-Style Wheat Beer With Yeast – 38 Entries
Gold: Leavenworth Boulder Bend Dunkelweizen, Fish Brewing Co., Olympia, WA
Silver: Tumblewheat, Altitude Chophouse and Brewery, Laramie, WY
Bronze: Leavenworth Whistling Pig Hefeweizen, Fish Brewing Co., Olympia, WA
Category: 3 Fruit Beer – 56 Entries
Gold: Raspberry Tart, New Glarus Brewing Co., New Glarus, WI
Silver: Brainless on Peaches, Epic Brewing Co., Salt Lake City, UT
Bronze: Derailed Black Cherry Ale, Erie Brewing Co., Erie, PA
Category: 4 Fruit Wheat Beer – 48 Entries
Gold: 5 Lizard, 5 Rabbit Cerveceria, Chicago, IL
Silver: Mr. Pineapple Wheat, SanTan Brewing Co., Chandler, AZ
Bronze: Vintage Blonde Ale, Blue Moon Brewing Co., Golden, CO
Category: 5 Field Beer or Pumpkin Beer – 37 Entries
Gold: Upslope Pumpkin Ale, Upslope Brewing Co., Boulder, CO
Silver: Pumpkin Ale, BJ’s Restaurant & Brewery – Chandler, Chandler, AZ
Bronze: Turnip the Beets, Bull & Bush Brewery, Denver, CO
Category: 6 Herb and Spice Beer – 92 Entries
Gold: Mexican Chocolate Stout, Copper Kettle Brewing Co., Denver, CO
Silver: LSD, Minneapolis Town Hall Brewery, Minneapolis, MN
Bronze: CBC Heather Ale, Cambridge Brewing Co., Cambridge, MA
Category: 7 Chocolate Beer – 30 Entries
Gold: Chocolate Beer, Barley Brothers Brewery and Grill, Lake Havasu City, AZ
Silver: Samuel Adams Chocolate Chili Bock, Boston Beer Co., Boston, MA
Bronze: Samuel Adams Chocolate Bock, Boston Beer Co., Boston, MA
Category: 8 Coffee Beer – 60 Entries
Gold: Java Mac, Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
Silver: Coffee Monster, Pizza Port Carlsbad, Carlsbad, CA
Bronze: Coffee Milk Stout, Dry Dock Brewing, Aurora, CO
Category: 9 Specialty Beer – 24 Entries
Gold: Hazelnut Brown Nectar, Rogue Ales, Newport, OR
Silver: Chateau Jiahu, Dogfi sh Head Craft Brewery, Milton, DE
Bronze: Denver Beer Co. Graham Cracker Porter, Denver Beer Co., Denver, CO
Category: 10 Rye Beer – 36 Entries
Gold: Three Flowers IPA, Marin Brewing Co., Larkspur, CA
Silver: Bock in Bock, Tequesta Brewing Co., Tequesta, FL
Bronze: Crank Tank, SweetWater Brewing Co., Atlanta, GA
Category: 11 Specialty Honey Beer – 32 Entries
Gold: Sixteen, Weyerbacher Brewing Co., Easton, PA
Silver: Eye of the Storm, Minneapolis Town Hall Brewery, Minneapolis, MN
Bronze: Midas Touch, Dogfi sh Head Craft Brewery, Milton, DE
Category: 12 Session Beer – 44 Entries
Gold: Provo Girl Pilsner, Utah Brewers Co-op, Salt Lake City, UT
Silver: Twerp, Pizza Port Carlsbad, Carlsbad, CA
Bronze: Firestone Walker Extra Pale Ale, Firestone Walker Brewing Co., Paso Robles, CA
Category: 13 Other Strong Beer – 53 Entries
Gold: Wheat Wine Ale, Smuttynose Brewing Co., Portsmouth, NH
Silver: Saison du Summer, Backcountry Brewery, Frisco, CO
Bronze: Totality Imperial Stout, FiftyFifty Brewing Co., Truckee, CA
Category: 14 Experimental Beer – 83 Entries
Gold: Mangalitsa Pig Porter, Right Brain Brewery, Traverse City, MI
Silver: Petit Obscura, Telegraph Brewing Co., Santa Barbara, CA
Bronze: Belgorado, Wynkoop Brewing Co., Denver, CO
Category: 15 Indigenous Beer – 31 Entries
Gold: Hqt, 21st Amendment Brewery, San Francisco, CA
Silver: Monticello Reserve Ale, Starr Hill Brewery, Crozet, VA
Bronze: Hot Rocks Lager, Port Brewing Co., San Marcos, CA
Category: 16 Gluten-Free Beer – 15 Entries
Gold: Gluten-Free Lemon Pale, Strange Brewing Co., Denver, CO
Silver: New Grist, Lakefront Brewery, Milwaukee, WI
Bronze: Seeley Axe White, Kettlehouse Brewing Co., Missoula, MT
Category: 17 American-Belgo-Style Ale – 43 Entries
Gold: Angry Birds, Haymarket Pub & Brewery, Chicago, IL
Silver: Blue Reserve, Blue Mountain Brewery, Afton, VA
Bronze: Boulevard Collaboration #2, Boulevard Brewing Co., Kansas City, MO
Category: 18 American-Style Sour Ale – 21 Entries
Gold: Le Terroir, New Belgium Brewing Co., Fort Collins, CO
Silver: Framboise de Amorosa, The Lost Abbey, San Marcos, CA
Bronze: Ching Ching, Bend Brewing Co., Bend, OR
Category: 19 American-Style Brett Ale – 31 Entries
Gold: Confl uence, Allagash Brewing Co., Portland, ME
Silver: Super Friends IPA, Ithaca Beer Co., Ithaca, NY
Bronze: Grimalkin – Super Kitty Fantastico, Brugge Brasserie, Indianapolis, IN
Category: 20 Wood- and Barrel-Aged Beer – 40 Entries
Gold: Velvet Merkin, Firestone Walker Brewing Co., Paso Robles, CA
Silver: Wee Pogue, Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
Bronze: Pinot Jubel, Deschutes Brewery, Bend, OR
Category: 21 Wood- and Barrel-Aged Strong Beer – 118 Entries
Gold: Melange a Trois, Nebraska Brewing Co., Papillion, NE
Silver: BBJ (Bourbon Barrel Johan), Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
Bronze: Barrel Aged Naked Evil BBW, Hoppin’ Frog Brewing Co., Akron, OH
Category: 22 Wood- and Barrel-Aged Strong Stout – 74 Entries
Gold: Bourbon Murder, Deschutes Brewery, Bend, OR
Silver: 2010 Bourbon Barrel Sexual Chocolate Imperial Stout, Foothills Brewing, Winston-Salem, NC
Bronze: Grand Inquisitor, Iron Hill Brewery & Restaurant, Wilmington, DE
Category: 23 Wood- and Barrel-Aged Sour Beer – 75 Entries
Gold: Friek, Odell Brewing Co., Fort Collins, CO
Silver: The Wanderer, The Bruery, Placentia, CA
Bronze: Le Serpent Cerise, Snake River Brewing, Jackson, WY
Category: 24 Aged Beer – 36 Entries
Gold: Expedition Stout, Bell’s Brewery, Galesburg, MI
Silver: Release the Hounds, Bull & Bush Brewery, Denver, CO
Bronze: 2004 Triple Exultation, Eel River Brewing Co., Fortuna, CA
Category: 25 Kellerbier or Zwickelbier – 48 Entries
Gold: Kolsch Kellerbier, Mad Fox Brewing Co., Falls Church, VA
Silver: Bottle Rocket Lager, Uncle Billy’s Brew & Que – Lake Travis, Austin, TX
Bronze: B3K Schwarzbier, Wynkoop Brewing Co., Denver, CO
Category: 26 Smoke Beer – 43 Entries
Gold: Smoke Ale, Rogue Ales, Portland, OR
Silver: Smoke Out, Starr Hill Brewery, Crozet, VA
Bronze: Alaskan Smoked Porter 2010, Alaskan Brewing Co., Juneau, AK
Category: 27 American-Style or International-Style Pilsener – 31 Entries
Gold: BEER, La Cumbre Brewing Co., Albuquerque, NM
Silver: Popcorn Pilsner, Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
Bronze: Legacy Lager, Silver Moon Brewing, Bend, OR
Category: 28 German-Style Pilsener – 42 Entries
Gold: Pavlov’s Pils, C.B. & Potts Restaurant & Brewery – Fort Collins, Fort Collins, CO
Silver: Sunshine Pils, Tröegs Brewing Co., Harrisburg, PA
Bronze: Pilsner, Marble Brewery, Albuquerque, NM
Category: 29 Bohemian-Style Pilsener – 42 Entries
Silver: Mama’s Little Yella Pils, Oskar Blues Brewery, Longmont, CO
Bronze: Pilsner, McCoy’s Public House and Brewkitchen, Kansas City, MO
Category: 30 Munich-Style Helles – 38 Entries
Gold: Chuckanut Helles, Chuckanut Brewery, Bellingham, WA
Silver: Where in the Helles Gunner?, Emmett’s Brewing Co., West Dundee, IL
Bronze: Órale, Del Norte Brewing Co., Denver, CO
Category: 31 Dortmunder or German-Style Oktoberfest – 20 Entries
Gold: Move Back, The SandLot, Denver, CO
Silver: Tommy Two Fists, Devils Backbone Brewing Co., Roseland, VA
Bronze: Dog Days Lager, Two Brothers Brewing Co., Warrenville, IL
Category: 32 American-Style Lager, Light Lager or Premium Lager – 55 Entries
Gold: Old Milwaukee Light, Pabst Brewing Co., Woodridge, IL
Silver: Busch Light, Anheuser-Busch, St. Louis, MO
Bronze: Pabst Blue Ribbon Light, Pabst Brewing Co., Woodridge, IL
Category: 33 American-Style Lager or Cream Ale or Lager – 31 Entries
Gold: Red Dog, Miller Brewing Co., Milwaukee, WI
Silver: Rainier, Pabst Brewing Co., Woodridge, IL
Bronze: Old Style, Pabst Brewing Co., Woodridge, IL
Category: 34 Vienna-Style Lager – 32 Entries
Gold: Jomo Lager, Starr Hill Brewery, Crozet, VA
Silver: Cityfest, Brewzzi, West Palm Beach, FL
Bronze: Vienna Red Lager, Iron Hill Brewery & Restaurant, Wilmington, DE
Category: 35 German-Style Märzen – 58 Entries
Gold: Stein Knocker, Hoppers Grill & Brewing Co., Midvale, UT
Silver: Munster Fest, Three Floyds Brewing Co., Munster, IN
Bronze: Samuel Adams Octoberfest, Boston Beer Co., Boston, MA
Category: 36 American-Style Amber Lager – 58 Entries
Gold: Uberbrau, Humperdink’s Restaurant and Brewery, Dallas, TX
Silver: Colorado Native, AC Golden Brewing Co., Golden, CO
Bronze: Florida Beer Florida Lager, Florida Beer Co., Melbourne, FL
Category: 37 European-Style Dunkel – 23 Entries
Gold: Dunkel Lager, Glenwood Canyon Brewing Co., Glenwood Springs, CO
Silver: Chuckanut Dunkel, Chuckanut Brewery, Bellingham, WA
Bronze: Penn Dark, Pennsylvania Brewing Co., Pittsburgh, PA
Category: 38 American-Style Dark Lager – 16 Entries
Gold: Durango Dark, Durango Brewing Co., Durango, CO
Silver: Session Black, Full Sail Brewing Co., Hood River, OR
Bronze: Schwarzbier, AC Golden Brewing Co., Golden, CO
Category: 39 German-Style Schwarzbier – 26 Entries
Gold: TAPS Schwarzbier, TAPS Fish House & Brewery (Corona, CA), Brea, CA
Silver: Nevermore Lager, Rock Bottom Brewery (King of Prussia, PA), Louisville, CO
Bronze: Gordon Biersch Schwarzbier, Gordon Biersch Brewery Restaurant (Seattle, WA), Chattanooga, TN
Category: 40 Bock – 34 Entries
Gold: Troegenator, Tröegs Brewing Co., Harrisburg, PA
Silver: PrePro Bock, Coors Archive Brewery, Golden, CO
Bronze: Maibock, Stewart’s Brewing Co., Bear, DE
Category: 41 German-Style Doppelbock or Eisbock – 22 Entries
Gold: Autumnal Fire, Capital Brewery Co., Middleton, WI
Silver: St. Nik Brewer’s Reserve, Pennsylvania Brewing Co., Pittsburgh, PA
Bronze: Eisphyre, Capital Brewery Co., Middleton, WI
Category: 42 Baltic-Style Porter – 19 Entries
Gold: Battle Axe Baltic Porter, Fat Head’s Brewery, North Olmsted, OH
Silver: White Eagle Baltic Porter, Montana Brewing Co., Billings, MT
Bronze: Puddy Porter, Triple Rock Brewery and Alehouse, Berkeley, CA
Category: 43 Golden or Blonde Ale – 56 Entries
Gold: Blonde, Ram Restaurant & Brewery – Seattle, Seattle, WA
Silver: Alaskan Pale Ale, Alaskan Brewing Co., Juneau, AK
Bronze: Kent Lake Kolsch, Iron Springs Pub & Brewery, Fairfax, CA
Category: 44 German-Style Kölsch – 48 Entries
Gold: Chuckanut Kolsch, Chuckanut Brewery, Bellingham, WA
Silver: Great Adirondack Kölsch, Great Adirondack Brewing Co., Lake Placid, NY
Bronze: Capital City Kolsch, Blind Tiger Brewery & Restaurant, Topeka, KS
Category: 45 English-Style Summer Ale – 33 Entries
Gold: Summer Lovin’, Blue Mountain Brewery, Afton, VA
Silver: Peacemaker, Austin Beerworks, Austin, TX
Bronze: Mad Fox Brewing Company English Summer Ale, Mad Fox Brewing Co., Falls Church, VA
Category: 46 Classic English-Style Pale Ale – 25 Entries
Gold: Clear Creek Pale Ale, Silver City Brewery, Bremerton, WA
Silver: MacTarnahan’s Amber Ale, MacTarnahan’s Brewing Co., Portland, OR
Bronze: Prime Time Pale Ale, Big Time Brewery, Seattle, WA
Category: 47 English-Style India Pale Ale – 46 Entries
Gold: Samuel Adams Latitude 48 Hallertau Mittelfrueh, Boston Beer Co., Boston, MA
Silver: Napa Smith Organic IPA, Napa Smith Brewery, Napa, CA
Bronze: Down ‘n’ Dirty IPA, Deschutes Brewery, Bend, OR
Category: 48 International-Style Pale Ale – 20 Entries
Gold: Boulevard Pale Ale, Boulevard Brewing Co., Kansas City, MO
Silver: Intercontinental Pale Ale, Flossmoor Station Brewing Co., Flossmoor, IL
Bronze: Radiant, Ninkasi Brewing Co., Eugene, OR
Category: 49 American-Style Pale Ale – 105 Entries
Gold: Pale 31, Firestone Walker Brewing Co., Paso Robles, CA
Silver: Mission St. Pale, Firestone Walker Brewing Co., Paso Robles, CA
Bronze: Ute Trail Pale Ale, Amicas, Salida, CO
Category: 50 American-Style Strong Pale Ale – 103 Entries
Gold: Pako’s Eye P.A., Snake River Brewing, Jackson, WY
Silver: AleSmith IPA, AleSmith Brewing Co., San Diego, CA
Bronze: Hop Knot, Four Peaks Brewing Co., Tempe, AZ
Category: 51 American-Style India Pale Ale – 176 Entries
Gold: Elevated IPA, La Cumbre Brewing Co., Albuquerque, NM
Silver: Deviant Dale’s, Oskar Blues Brewery, Longmont, CO
Bronze: Head Hunter IPA, Fat Head’s Brewery, North Olmsted, OH
Category: 52 Imperial India Pale Ale – 102 Entries
Gold: Citra Double IPA, Kern River Brewing, Kernville, CA
Silver: Double Jack, Firestone Walker Brewing Co., Paso Robles, CA
Bronze: Imperial IPA, Epic Brewing Co., Salt Lake City, UT
Category: 53 American-Style Amber/Red Ale – 82 Entries
Gold: Amber Waves, 21st Amendment Brewery, San Francisco, CA
Silver: Jamaica Red Ale, Mad River Brewing Co., Blue Lake, CA
Bronze: Rocket Red, Big River Grille and Brewing (Chattanooga, TN), Chattanooga, TN
Category: 54 Imperial Red Ale – 57 Entries
Gold: 547 Haight – The Toronado San Francisco’s 20th Anniversary Imperial Red Ale, Pizza Port Carlsbad, Carlsbad, CA
Silver: Rhino Chaser Imperial Red Ale, Pizza Port Ocean Beach, San Diego, CA
Bronze: Organic Deranger, Laurelwood Brewing Co., Portland, OR
Category: 55 English-Style Mild Ale – 25 Entries
Gold: Skidmark Brown Ale, Pizza Port Ocean Beach, San Diego, CA
Silver: Dawn Patrol Dark, Pizza Port Solana Beach, Solana Beach, CA
Bronze: Bird and Baby Mild, The Public House Brewing Co., Rolla, MO
Category: 56 Ordinary or Special Bitter – 28 Entries
Gold: DBA, Firestone Walker Brewing Co., Paso Robles, CA
Silver: New Speedway Bitter, Magnolia Gastropub and Brewery, San Francisco, CA
Bronze: Bonnie Lee’s Best Bitter, Magnolia Gastropub and Brewery, San Francisco, CA
Category: 57 Extra Special Bitter – 43 Entries
Gold: Minaret ESB, Cigar City Brewing, Tampa, FL
Silver: Colorado Kind, Mountain Sun Pub and Brewery, Boulder, CO
Bronze: Harvest Ale, Goose Island Beer Co., Chicago, IL
Category: 58 Scottish-Style Ale – 27 Entries
Gold: Hope and King Scotch Ale, Minneapolis Town Hall Brewery, Minneapolis, MN
Silver: Naughty Scot, Rock Bottom Brewery (College Park – Indianapolis, IN), Louisville, CO
Bronze: Brown Bear Brown, Rock Bottom Brewery (Bethesda, MD), Louisville, CO
Category: 59 Irish-Style Red Ale – 31 Entries
Gold: O’Rion Irish Red, Equinox Brewing, Fort Collins, CO
Silver: Copperhead Red, Ghost River Brewing, Memphis, TN
Bronze: Colorado Boy Irish Ale, Colorado Boy Brewing Co., Ridgway, CO
Category: 60 English-Style Brown Ale – 45 Entries
Gold: Good Grief Brown, Pizza Port Carlsbad, Carlsbad, CA
Silver: Rock Bottom Brown Ale, Rock Bottom Brewery (San Diego, CA), Louisville, CO
Bronze: Molly’s Titanic Brown, Rock Bottom Brewery (Westminster, CO), Louisville, CO
Category: 61 American-Style Brown Ale – 49 Entries
Gold: Great American Brown, Pizza Port Carlsbad, Carlsbad, CA
Silver: Redrock Nut Brown Ale, Redrock Brewing Co., Salt Lake City, UT
Bronze: Brave American, American Brewing Co., Edmonds, WA
Category: 62 American-Style Black Ale – 74 Entries
Gold: Blacktop IPA, New Glarus Brewing Co., New Glarus, WI
Silver: Blackened CDA, Carter’s Brewing, Billings, MT
Bronze: Black Racer, Bear Republic Brewing Co., Healdsburg, CA
Category: 63 German-Style Altbier – 30 Entries
Gold: Little Red Cap, Grimm Brothers Brewhouse, Loveland, CO
Silver: TAPS Alt, TAPS Fish House & Brewery (Brea, CA), Brea, CA
Bronze: Chuckanut Alt, Chuckanut Brewery, Bellingham, WA
Category: 64 German-Style Sour Ale – 13 Entries
Gold: Berliner Weisse, Crabtree Brewing Co., Greeley, CO
Silver: Hottenroth Berliner Weisse, The Bruery, Placentia, CA
Bronze: Gordon Biersch Goze, Gordon Biersch Brewery Restaurant (Rockville, MD), Chattanooga, TN
Category: 65 South German-Style Hefeweizen – 64 Entries
Gold: Hefeweizen, Dry Dock Brewing, Aurora, CO
Silver: Wild Pitch Hefe Weizen, The SandLot, Denver, CO
Bronze: EOS, Nebraska Brewing Co., Papillion, NE
Category: 66 German-Style Wheat Ale – 23 Entries
Gold: Boscos Hefeweizen, Boscos Brewing Co., Memphis, TN
Silver: Weizenbock, Sierra Nevada Brewing Co., Chico, CA
Bronze: Dark-n-Curvy, Piece Brewery, Chicago, IL
Category: 67 Belgian-Style Witbier – 53 Entries
Gold: Witte, Brewery Ommegang, Cooperstown, NY
Silver: La Perouse White, Maui Brewing Co. – Brewpub, Maui, HI
Bronze: ZON, Boulevard Brewing Co., Kansas City, MO
Category: 68 French- and Belgian-Style Saison – 65 Entries
Gold: Saison-Brett, Boulevard Brewing Co., Kansas City, MO
Silver: Funkwerks Saison, Funkwerks, Fort Collins, CO
Bronze: Sofi e, Goose Island Beer Co., Chicago, IL
Category: 69 Belgian- and French-Style Ale – 56 Entries
Gold: California Ale, Telegraph Brewing Co., Santa Barbara, CA
Silver: TAPS Biere de Garde, TAPS Fish House & Brewery (Corona, CA), Brea, CA
Bronze: Pin-Up Blonde, Bastone Brewery, Royal Oak, MI
Category: 70 Belgian-Style Lambic or Sour Ale – 51 Entries
Gold: Fifth Element 2008, Squatters Pub Brewery, Salt Lake City, UT
Silver: Blue Sunday, New Holland Brewing Co., Holland, MI
Bronze: Barton Kriek, North by Northwest, Austin, TX
Category: 71 Belgian-Style Abbey Ale – 76 Entries
Gold: Brother David’s Double, Anderson Valley Brewing Co., Boonville, CA
Silver: Wild-Westmalle Tripel, Chicago Brewing Co., Las Vegas, NV
Bronze: Two Tortugas, Karl Strauss Brewing Co., San Diego, CA
Category: 72 Belgian-Style Strong Specialty Ale – 59 Entries
Gold: Buffalo Slumber, Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
Silver: Revelations, Pizza Port Carlsbad, Carlsbad, CA
Bronze: The Twelve, Black Diamond Brewing Co., Concord, CA
Category: 73 Brown Porter – 32 Entries
Gold: Out of Order Porter, Wind River Brewing Co., Pinedale, WY
Silver: FireHouse Porter, FireHouse Grill & Brewery, Sunnyvale, CA
Bronze: Porter, Lexington Avenue Brewery, Asheville, NC
Category: 74 Robust Porter – 62 Entries
Gold: Moonlight Porter, Rock Bottom Brewery (La Jolla, CA), Louisville, CO
Silver: DeadEye Jack Porter, LoneRider Brewing Co., Raleigh, NC
Bronze: Pier Rat Porter, Pizza Port San Clemente, San Clemente, CA
Category: 75 Classic Irish-Style Dry Stout – 24 Entries
Gold: Ring of Dingle, Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
Silver: Breakside Dry Stout, Breakside Brewery, Portland, OR
Bronze: Shaft House Stout, Dostal Alley Brewpub & Casino, Central City, CO
Category: 76 Foreign-Style Stout – 23 Entries
Gold: Dark Side Stout, Silver Moon Brewing, Bend, OR
Silver: Malpais Stout, La Cumbre Brewing Co., Albuquerque, NM
Bronze: Z-Man Stout, Pizza Port Ocean Beach, San Diego, CA
Category: 77 American-Style Stout – 37 Entries
Gold: Jules Winnfi eld, Pizza Port Solana Beach, Solana Beach, CA
Silver: Achievement Beyond Life’s Experiences American Stout, Brit Antrim Benefi t Beer,
Pizza Port Ocean Beach, San Diego, CA
Bronze: Disorder Stout, Barley Brown’s Brew Pub, Baker City, OR
Category: 78 Sweet Stout – 19 Entries
Gold: Steel Toe Stout, Ska Brewing Co., Durango, CO
Silver: Cream Stout, Redwood Brewing Co., Flint, MI
Bronze: Outlaw Oatmeal Stout, Great Basin Brewing Co., Sparks, NV
Category: 79 Oatmeal Stout – 36 Entries
Gold: Back Road Stout, Millstream Brewing Co., Amana, IA
Silver: Oatmeal Stout, Crabtree Brewing Co., Greeley, CO
Bronze: Stagecoach Stout, Figueroa Mountain Brewing Co., Buellton, CA
Category: 80 Imperial Stout – 56 Entries
Gold: BORIS The Crusher Oatmeal-Imperial Stout, Hoppin’ Frog Brewing Co., Akron, OH
Silver: Russian Imperial Stout, Iron Hill Brewery & Restaurant, Wilmington, DE
Bronze: IMOS, Max Lager’s Wood-Fired Grill & Brewery, Atlanta, GA
Category: 81 Scotch Ale – 39 Entries
Gold: Wee Muckle, Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
Silver: Wee Heavy, Vintage Brewing Co., Madison, WI
Bronze: Old Chub Scotch Ale, Oskar Blues Brewery, Longmont, CO
Category: 82 Old Ale or Strong Ale – 35 Entries
Gold: Papier, The Bruery, Placentia, CA
Silver: AleSmith Decadence ‘10 Old Ale, AleSmith Brewing Co., San Diego, CA
Bronze: Arctic Alchemy, Fegley’s Brew Works, Allentown, PA
Category: 83 Barley Wine-Style Ale – 42 Entries
Gold: Horn Dog Barleywine, Flying Dog Brewery, Frederick, MD
Silver: AleSmith Old Numbskull, AleSmith Brewing Co., San Diego, CA
Bronze: Johan the Barleywine, Sun King Brewing Co., Indianapolis, IN
2011 Great American Beer Festival Pro-Am Competition
Gold: Before Capone, C.B. & Potts Restaurant & Brewery, Westminster, CO
Brewmaster: Dennis O’Harrow, AHA Member: Tom Gardner
Silver: Schwarzherz, Uinta Brewing Co., Salt Lake City, UT
Brewmaster: Uinta Beer Team, AHA Member: Travis Grimm
Bronze: Kriek, Dry Dock Brewing, Aurora, CO
Brewmaster: Dry Dock Brewers, AHA Member: Ted Manahan

Prêmios extras

Small Brewing Company and Small Brewing Company Brewer of the Year
Chuckanut Brewery, Bellingham, WA
Brewer: Will Kemper
Mid-Size Brewing Company and Mid-Size Brewing Company
Brewer of the Year
Firestone Walker Brewing Co, Paso Robles, CA
Brewer: Matthew Brynildson
Large Brewing Company and Large Brewing Company
Brewer of the Year
Pabst Brewing Company, Woodridge, IL
Brewer: Bob Newman
Small Brewpub and Small Brewpub Brewer of the Year
Pizza Port Ocean Beach, San Diego, CA
Brewer: Yiga Miyashiro
Large Brewpub and Large Brewpub Brewer of the Year
Pizza Port Carlsbad, Carlsbad, CA
Brewer: Pizza Port Brew Guys
Brewpub Group and Brewpub Group Brewer of the Year
TAPS Fish House & Brewery, Brea, CA
Brewer: Victor Novak

Cerveja Azeda é negócio arriscado, começando pelo nome

on 2 de outubro de 2011




Cervejeiros de cervejas azedas maturadas em barris de madeira assumem riscos e praticam bastante paciência.  Eles esperam até três anos para ver se o líquido turvo descansando em carvalho madura para tons de ouro ou de framboesa e desenvolve os sabores ácidos ideais, ou se será intragável, devastado por leveduras agressivas. É uma aposta cara.

E mesmo que eles sejam bem sucedidos, ainda tem que persuadir as pessoas a bebê-lo.

"Ainda temos clientes que nos ligam para avisar que uma garrafa de nossa cerveja maturada em barris de madeira estragou porque tem gosto azedo", diz Vinnie Cilurzo, dono da cervejaria Russian River, na Califórnia-EUA.  "Cervejas azedas nunca se tornarão as pale ales da cerveja artesanal".

Mas para os cervejeiros de cerveja azeda, e para os fans, a espera vale a pena.

"Eu quase me arrependo que as chamamos de cervejas azedas", diz Tom Nickel, dono do O´Briens´s Pub em San Diego.  "A palavra 'azeda' requer um pouco de coragem".  O melhor de alguns estilos azedos, como gueuze, diz ele, tem sabores de champagne ou limonada.  " Você pode não gostar da idéia de estar bebendo cerveja azeda, mas a sua boca vai gostar."

Enquanto a gama de "cervejas azedas" inclui muitos estilos, as tradicionais cervejas azedas são mais popular na Bélgica, casa das lambics, guezes e das cervejas azedas de Flandres.  Mas nos últimos anos cervejeiros americanos tem tentado imitar esses estilos ao fermentar com leveduras especiais e bactérias láticas.  Ocasionalmente eles maturam as cervejas em madeira ou aço inox e adicionam framboesas, cerejas, damascos e outras frutas frescas para sabor, antes de blendarem os resultados finais.

Em 2002, quando o GABF ("Grande Festival de Cervejas Americanas") introduziu as primeiras categorias de cervejas azedas, cervejeiros inscreveram apenas 15 dessas cervejas. No festival do ano passado, cervejeiros inscreveram 119 cervejas azedas em quatro categorias: Lambic ou Sour Ale estilo belga, Sour Ale estilo americano, Sour Ale estilo alemão e Sour Ale maturado em madeira e barris.

Eles são guiados por sede de desafio.  Produzir cerveja azeda maturada em barris requer vontade de correr riscos.

Peter Bouckaert foi um dos primeiros cervejeiros a produzir cervejas azedas nos EUA.  O Sr. Bouckaert, nativo da Bélgica e que trabalhos em cervejarias por lá, incluindo a Rodenbach, se tornou o cervejeiro da cervejaria New Belgium em Fort Collins, Colorado, em 1996.  Ele lançou a La Folie, do estilo Flanders Red Ale, em 1999.  É uma das 3 cervejas azedas em madeira da New Belgium que são bem consideradas por fanáticos de cervejas, mesmo que tenham vendas de menos de 2% das cervejas totais.

"Buscar novas direções é parte do real espírito da cerveja artesanal", o Sr. Bouckaert diz.  "Nós não vamos fazer pesquisa de mercado antes."

A cervejaria Allagash em Portland, Maine, produz cervejas azedas usando fermentação espontânea, um método belga tradicional que expõe o mosto - cerveja antes da fermentação - ao ar, de modo que esse mosto possa ter contato com fermentos e bactérias presentes no ar.  É a primeira cervejaria americana a fazer isso.  Allagash chama as cervejas de "Coolships", que é o termo para os containers largos e semelhantes a banheiras que permitem o contato do mosto com o ar.

"Alguns apreciadores de cerveja estão tentando me pegar trapaceando," diz Jason Perkins, cervejeiro da Allagash.  "Se quiséssemos adicionar fermento pra fazer cerveja azeda, nós simplesmente faríamos isso.  Ao invés, estamos tentando resgatar o modo original de fazer o tradicional estilo Lambic."

"Os cervejeiros de Lambic que nos inspiraram tem feito esses estilos por centenas de anos, e ainda estão tentando entender o processo," disse Perkins. "Ainda temos muito o que aprender."

A maioria dos cervejeiros não dão sopa pro azar.  Eles adicionam várias bactérias ácidas e leveduras brettanomyces, que se esbaldam dentro de barris escuros e quentes, devorando açúcares com voracidade.  A bactéria cria fortes notas azedas, enquanto que o Brettanomyces adiciona aromas e sabores distintos, combinações de dulçor, ácido, frutado, terroso, cravo e de curral.

Mas ao contrário da maioria dos fermentos cervejeiros, o Brettanomyces pode facilmente sobreviver em ambientes de baixo teor de nutrientes - não morre facilmente, especialmente quando em madeira.  Trabalhar com Brettanomyces põe em risco a contaminação de tudo que entrar em contato com ele - barris e jalecos, tanques de aço inox e levas de cerveja.

A cervejaria Russian River usa todas as quatro cepas de Brettanomyces comercialmente disponíveis para cervejeiros, mesmo que os levedos possam destruir 90 porcento das cervejas da cervejarias que não foram são intencionalmente azedas.  Para evitar contaminação cruzada, Vinnie Cilurzo limita os brettanomyces para área e equipamentos específicos.  Cervejeiros trabalhando nesse espaço não são permitidos de entrar em outras partes da cervejaria no mesmo dia e são encorajados a lavarem suas roupas depois do trabalho.

Alguns produtores de vinhos também do condado de Sonoma consideram esse fermento uma praga capaz de destruir safras inteiras de vinho e se recusam a vender os barris de Chardonnay, pinot noir e cabernet para que as cervejas envelheçam com Brettanomyces.

"Alguns produtores de vinho nem chegam a entrar na cervejaria pra tomar uma cerveja por se incomodarem tanto por Brettanomyces" , diz Cilurzo.

O produtor da cervejaria Cascade Brewing em Portland, Oregon tem outro problema com Brettanomyces.

"Cervejas com Brettanomyces podem ser tão azedas que se tornam um 'evento' por si só", diz ele. "Não necessariamente algo a ser harmonizado com comida."

Cervejas azedas feitas com fermentos que não sejam Brettanomyces podem ter mais equilíbrio e corpo, ele diz, e é por isso que ele nunca adicionou o levedo intencionalmente em nenhuma de suas cervejas.

Para Gansberg, produzir cervejas deu a chance de se destacar da quantidade imensa de cervejarias artesanais do noroeste dos EUA conhecidas por brassar cervejas amargas e intensamente lupuladas, as IPA´s. E ele almeja equilíbrio, não apenas azedo.

"Eu não participei na corrida-armamentista de lúpulo", disse ele, "e certamente não estarei indo na direção de 'minha cerveja é mais azeda que a sua'"

Fonte: NY Times
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...